CENTRO DE CULTURA E LÍNGUA TALIAN


ALGUNS DOCUMENTOS EXPERIÊNCIA 01:

 


ALGUNS DOCUMENTOS EXPERIÊNCIA 02:

Encontro da cultura italiana é marcado pela emoção
http://www.dahoraonline.com/index.php?ap=2&noticia=8514

22/09/2013 - 17:45:20

No último sábado, dia 21, o encontro cultural do XII Encontro Da Cultura da Imigração Italiana/Feibemo – 2013, realizado na Catedral São Francisco, emocionou o público presente

Tendo por local o monumento de maior valor artístico e sócio cultural de Caçador, as apresentações de corais foram aplaudidas em pé, sensibilizando e emocionando os presentes.

Segundo registros, a catedral São Francisco de Assis fora edificada pelos engenheiros italianos Dante Mosconi e João Palermo, sendo que seu “estilo arquitetônico prende-se decisivamente às raízes antropológicas do município de etnia predominantemente italiana”.

Ao som do raro órgão - cujo histórico e algumas de suas funções foram expostas por Tércius - três músicas italianas foram executadas pelos artistas Jucenei e Bruno, contribuindo para que o espetáculo artístico-cultural fosse ainda mais rico e belo. Orgulho caçadorense!

Ao final, o presidente da FEIBEMO expôs aos presentes o calendário de eventos deste ano, sendo suas datas lembradas e comemoradas durante o ano todo:
01 de janeiro – Bon Princìpio del’Ano - Gràssie e bona fine! ;
21 de fevereiro – Dia Nacional do Imigrante Italiano e Conquista de Monte Castelo – Itália – e Fim da II Guerra Mundial;
05 de março – início Curso de Cultura e Língua Talian, todas as terças-feiras das 19h30min. às 22h30min, a cargo do Centro de Cultura e Língua Talian, na Biblioteca Frei Rovílio Costa, à rua Domingos Sorgatto, 166, Bairro Sorgatto, subsolo, Caçador – SC;
16 de abril de 1869 – Assassinado Giovanni Maria Agostini, o Monge João Maria do Contestado, próximo ao povoado de Mesilla – Território de Novo México;
21 de maio de 1974 – Data da morte de Dante Mosconi, nascido no dia primeiro de novembro de 1891, em Bérgamo, na Lombardia-Iália;
31 de maio - Dia da Comunidade Italiana, instituído pela Lei 6.133, de 1º de junho de 1988;
08 de junho de 2007 - Oficializa em Santa Catarina “La Merica” como tema dos 130 anos da imigração italiana;
Primeiro domingo de julho - Dia Nacional do Vinho. Lembrar que Caçador foi o primeiro maior produtor de uvas e vinhos do estado;
14 de julho – Nedi Terezinha Locatelli e Aliduino Zanella participaram da II CONFERÊNCIA LIVRE DA LÍNGUA TALIAN – RS, na qualidade de presidente e vice da FEIBEMO e conselheiros titulares do Colegiado Setorial de Patrimônio Imaterial do CNPC – Conselho Nacional de Política Cultural;
22 de julho - Dia do Filò - Realização da Terceira edição pública do Filò 2013, pelos alunos do curso de Cultura e Língua Talian, realizado dia 20 na sede da federação sita à Rua Domingos Sorgatto, 166, Bairro Sorgatto, subsolo, Caçador – SC;
25 de Julho - Dia do Colono - Lei Nº 5.496, 05/09/1968 (4);
17 agosto de 1996 - Data de fundação da FEIBEMO;
25 de agosto - Nedi Terezinha Locatelli e Aliduino Zanella, realizam a CONFERÊNCIA LIVRE DO TALIAN em Serrinha, município de Ipumirim – SC;
21 de setembro - XII Encontro da Cultura Taliana/FEIBEMO – 2013 com presentações culturais na Catedral São Francisco de Assis;
01 a 6 de outubro – O presidente da FEIBEMO, Aliduino Zanella, participa, por convocação Ministerial, da reunião do Colegiado Setorial, na qualidade de membro titular do Colegiado de Patrimônio Cultural Imaterial do CNPC, a realizar-se no SESC Itaquera, São Paulo/SP;
03 de outubro – Dia da Bòcia – Lei Municipal nº 2.931; 11 de novembro -
Lei nº 14.951 – Declarada integrante do Patrimônio Histórico e Cultural do Estado de Santa Catarina, a Língua Talian;
17 e 18 de novembro – presidente da FEIBEMO participa do 17º Encontro Nacional de Divulgadores do Talian na rádio em Palma Sola – SC;
13/12/2012 - Dia do Quatrilho;
26 a 29 de novembro – O Presidente da FEIBEMO, Aliduino Zanella, participa, por convocação Ministerial, da III Conferência Nacional de Cultura (P publicada no D.O.U de 17 de abril de 2013, Seção I, pg. 7 a 10);
25 de dezembro – Nadal Data cristã. Bambin Gesù che porta i presenti. Comemoração em família, para seguir exemplo de família como o fora a mãe Maria, o pai José e o menino Jesus. Também fora aprovado projeto Casa do Patrimônio Taliani & Amighi, encaminhado ao IPHAN – Instituto de Patrimônio Histórico e Artistico Nacional, dentre outros que poderiam ser divulgadas e exploradas pelas comunidades de imigração da etnia italiana.
Finalizando as apresentações, os presentes tiveram uma surpresa com a execução de dois cantos italianos por Rocki, japonês radicado em Caçador.
O evento pode ser realizado graças a colaboração do Pe. Gilberto Tomazi e do apoio doRotary Club Sul Contestado e da Rádio Caçanjurê, dos corais que se apresentaram e do público que assistiu.


NOTÍCIA: Brasil de todas as línguas
http://www.revistadehistoria.com.br/secao/em-dia/brasil-de-todas-as-linguas

Iphan reconhece três idiomas como Referência Cultural Brasileira e inaugura Inventário Nacional da Diversidade Linguística

Alice Melo
1/1/2015

Ñandeva ekuéry. “Todos os que somos nós”. É assim que os guarani mbya se reconhecem coletivamente. Sua identidade é marcada pelo uso atual ou antepassado de tambeao (um tipo de veste de algodão), por seus hábitos alimentares e sua língua. Ser mbya é principalmente falar mbya. Estima-se que haja cerca de 7 mil falantes desta variação do guarani no país habitando comunidades na faixa litorânea que se estende do Espírito Santo ao Rio Grande do Sul. No final do ano passado, o mbya foi reconhecido pelo Iphan como Referência Cultural Brasileira, junto com o talian (idioma de imigração falada no sul) e o asurini do trocará (oriundo de povos às margens do rio Tocantins). Estas são as primeiras línguas inscritas no Inventário Nacional da Diversidade Linguística.
Giovana Pereira, funcionária do Departamento do Patrimônio Imaterial do Iphan, diz que a intenção do Inventário é “entender o Brasil como um país multilíngue”, ajudando a dar visibilidade a algumas culturas, para evitar que desapareçam com o tempo. A historiadora acrescenta que a ideia “também é mapear, conhecer as demandas, ver que tipo de ações podem ser realizadas nessas comunidades” – incluindo apoio financeiro a alguns projetos, embora isso ainda não tenha sido colocado no papel.

O Instituto de Investigação e Desenvolvimento em Política Linguística (Ipol) realizou o inventário do mbya em 69 comunidades guaranis e atualmente trabalha para fazer o mesmo com o hunsruckisch, língua alemã presente há quase 200 anos no Brasil. Rosangela Morello, uma das coordenadoras do trabalho, diz que no país não há informações consistentes sobre a variabilidade linguística, principalmente no que diz respeito a línguas indígenas. Daí a importância de se incentivar a realização de mapeamentos que seriam “pesquisas sobre a vitalidade da língua, considerando população, funções, usos e transmissão, além das relações históricas e culturais”. A pesquisadora alerta para a imprecisão do Censo 2010, que detectou a existência de 274 línguas indígenas: “Para 2020, o método tem que ser revisto. O questionário só considera se a pessoa se declara de determinada nacionalidade”, e isso não daria a dimensão dos falantes de diversas línguas que se consideram brasileiros, como é o caso dos dialetos de imigração.

Nedi Terezinha Locatelli , além de conselheira titular do Colegiado Setorial de Patrimônio Imaterial do Conselho Nacional de Política Cultural, é falante de talian (uma variante do vêneto). Para ela, as línguas de imigração são as que correm mais risco de desaparecer. A maioria figura apenas no vocabulário cotidiano dos mais velhos (os nonnos e nonnas). “A cultura taliana – e a de outros grupos – se mantém quase exclusivamente com recursos próprios. O reconhecimento precisa reverter em consciência, valorização e salvaguarda da cultura”, defende.

Para que uma língua entre no Inventário, é preciso que ela seja falada há pelo menos 75 anos em território nacional e que tenha sido foco de um estudo de mapeamento realizado por uma instituição de pesquisa, em colaboração com a comunidade.


FEIBEMO promove visitação à biblioteca de Talian

09/02/2010 11:50 - CAÇADOR ONLINE

A FEIBEMO – Federação das Entidades Ítalo Brasileiras do Meio Oeste Catarinense – promoveu no último sábado, 6, uma tarde de visitação à Biblioteca Talian Frei Rovílio Costa. O local recebeu recentemente 130 volumes, entre literaturas, gramáticas e dicionários, através de subvenção social do deputado Marcos Vieira.

Em fevereiro a Feibemo promoveu em Caçador o primeiro curso de Talian de Santa Catarina. Para julho a intenção é formar um novo grupo de pessoas que desejam aprender a língua.
“Daremos preferência para os grupos do interior, colonizadores que ainda mantém a tradição do Talian (Comunidade do Bugre, Cará, Caixa D Água, São Francisco) e também professores da rede municipal de ensino, além de interessados de outros municípios da região”, explica Aliduíno Zanella, secretário da Feibemo.

A biblioteca está localizada na sede da Feibemo, na Rua Domingos Sorgatto, 166, em Caçador. O acesso ao público em geral, em horários pré-fixados, destinados à leitura, consulta e pesquisa, fica na dependência de condições para manter, via contrato, uma bibliotecária.

Talian: No início do século passado, imigrantes vieram de várias partes da Itália para o Brasil. Chegando no país, eles se depararam com uma dificuldade de comunicação, pois em cada região italiana se falava um dialeto diferente. Esses imigrantes foram modificando os dialetos, junto com o português e o espanhol, formando a língua Talian, genuinamente brasileira.

 


Título de Referência Cultural da Língua Talian



REGIMENTO

 



CURSO DE CULTURA E LÍNGUA TALIAN

CENTRO DE CULTURA E LÍNGUA ITALIANA DO MEIO OESTE E PLANALTO CATARINENSE – CLIMOP

O curso básico em regime regular tem duração de três anos com carga horária de 350 horas, com oferta de três horas por semana.
Seguem os conteúdos a serem ministrados em dois módulos:

Primeiro Módulo:
- Noções sobre Políticas do Conselho Nacional de Políticas Públicas do MinC;
- Conhecimento sobre Plano Decenal e Setoriais de Cultura;
- Conhecimento dos Colegiados Setoriais de Cultura – Patrimônio Imaterial; Artesanato; Artes Visuais e Arte Digital; Arquitetura e Urbanismo e Patrimônio Material; Dança e Teatro; Literatura, Livro e Leitura e Música; Arquivos e Moda; Design e Circo; Cultura dos Povos Indígenas e Cultura Afro.
- Noções sobre conceito de Cultura;

Segundo Módulo:
- Cultura e Língua Talian
- Noções de História e Cultura da Imigração Italiana no Brasil;
- Cultura Alimentar típica da Imigração Italiana;
- Saberes e Fazeres;
- Lazer em comunidade;
- Jogos típicos;
- Artesanato
- Canto – coral e outros cantos;
- Dança típica.

Terceiro Módulo:
A metodologia de ensino adotada neste terceiro módulo baseia-se no exercício de comunicação e construída com base em princípios metodológicos modernos e inovadores que permitem e capacitam o cursista a se comunicar, desde o início do curso, com facilidade e segurança em situações semelhantes às reais.
Usando uma metodologia lúdica e divertida, o curso visa estimular as quatro habilidades (ler, escrever, falar e entender) através do exercício de repetição e dramatização de seus conteúdos:
Aprendizagem da língua Talian, tendo por conteúdos:
- Stórico dela lingua taliana in te la sua formassión e come patrimonio Stòrico Culturale Imaterial.
- Linguagem oral
- Leitura e suas práticas
- Escrita e suas práticas
- Gramática:
1) L’Alfabeto – formato da sinque vocale e sédesse consonante.
2) I Assenti – grave (`) e acuto (´) e le sue régule
3) Giorni de la setimana e i mesi del’ano
4) I Nùmeri – cardinai e ordinai
5) El Artìcolo – definio e indefinio
6) El Agetivo possessivo
7) El adgetivo demonstrativo
8) El Agetivo indefenio
9) El Agetivo qualificativo
10) Grado del agetivo
11) Formassion del plural
12) Formassion del femenino
13) El grado del sustantivo
14) I pronomi
a) El pronome personal
b) I pronomi
c) El pronome personal oblìquo, o indireto
d) I pronomi
e) El pronome possessivo
e) El pronome demostrativo
I pronomi
El pronome indefinio
I pronomi
El pronome relativo

Verbi taliani
Aussiliari – esser modo indicativo presente, pretèrito imperfeto, pretèrio perfeto, pi che perfeto, futuro del presente, futuro del pretèrito
Modo subjuntivo – presente
Pretèrito imperfeto
Pretèrito pi che perfeto
Modo imperativo – afirmativo – negativo
Forme nominali
Infinito impessoal


CORSO INTENSIVO DE LINGUA CULTURAL TALIAN
Giorni: 21 à 30 de novembre 2009.
Total ore Del primo incontro: 64
Locale: Sede dela Federassion di Entità Italo-Brasiliane del Mezo Ovest e Alto Piano Catarinense – FEIBEMO
Insegnante: Professore Aliduino Zanella

PROGRAMASSION DEL INSEGNANTE
I contenuti completi e i libri i zé in te’l posto dela federassion
(Conteúdo programático e bibliografias encontram-se na sede da entidade)
Ob.: Se va avanti in conformità con queli que impara

Prima Lession
Stórico dela lingua taliana in te la sua formassiôn e come patrimonio Stórico Culturale Imaterial.
El Alfabeto – formato da sinque vocale e sédesse consonante.

Seconda Lession
I Assenti – grave (`) e acuto (´) e le sue régule

Tersa Lession
Giorni de la setimana e i mesi del’ano

Quarta Lession
I Nùmeri – cardinai e ordinai

Quinta lession
El Artìcolo – definio e indefinio

Sesta Lession
El Agetivo possessivo

Sètima Lession
El adgetivo demonstrativo

Otava Lession
El Agetivo indefenio

Nona Lession
El Agetivo qualificativo

Dècima Lession
Grado del agetivo

Decima Prima Lession
Formassion del plural

Dècima Seconda Lession
Formassion del femenino

Dècima Tersa Lession
El grado del sustantivo

Dècima Quarta Lession
I pronomi
El pronome personal

Dècima Quinta Lesión
I pronomi
El pronome personal oblìquo, o indireto

Dèssima Sesta Lesión
I pronomi
El pronome possessivo

Dèssima Sètima Lession
Pronomi
El pronome demostrativo

Dèssima Otava Lession
I pronomi
El pronome indefinio

Dèssima Nona Lession
I pronomi
El pronome relativo

VERBI TALIANI
1 AUSSILIARI – esser modo indicativo presente, pretèrito imperfeto, pretèrio perfeto, pi che perfeto, futuro del presente, futuro del pretèrito
MODO SUBIUNTIVO – presente
PRETÉRITO IMPERFETO
PRETÈRITO PI CHE PERFETO
MODO IMPERATIVO – afirmativo – negativo
FORME NOMINALI
INFINITO IMPESSOAL



 


INSCRIÇÕES


Encerramento Curso de Cultura e Língua Talian
http://www.dahoraonline.com/index.php?ap=2&noticia=11373

15/12/2014 - 18:54:07

Aproximadamente 30 pessoas participaram, no último sábado (13), do Jantar Italiano promovido pela Federação de Entidades Ìtalo Brasileiras do Meio Oeste e Planalto Catarinense (FEIBEMO) na sede da entidade.


Alunos e convidados


Alunos do curso de Língua e Cultura Talian encerraram as atividades letivas referente ao ano de 2014. O salão ficou coberto de verde, vermelho e branco lembrando as cores do pavilhão italiano.


Jantar típico Talian a base de polenta e fortàia


La bella polenta è fatto così


Os convidados desfrutaram dos bons vinhos,sucos e jantar típico Talian a base de polenta e fortàia , onde tudo isso faz parte do aprendizado dos alunos que buscam também conhecer a cultura italiana.


CARTA DA LÍNGUA TALIAN

Nós, Nação Cultural Taliana, parte integrante da grande nação ítalo-brasileira e parte dos diferentes grupos formadores da sociedade brasileira (art. 216 da CF/88), tendo a Língua Talian reconhecida como Língua de Referência Cultural Brasileira - Patrimônio Cultural Imaterial, incluída pelo Inventário Nacional da Diversidade Linguística, em 2014, conforme título emitido pelo Ministério da Cultura, assim nos identificamos:

Descrição:
“... vinculada historicamente aos dialetos provenientes do Norte da Itália, mas com características próprias, derivadas do contexto brasileiro que a diferem da matriz original e também de outras regiões brasileiras.” (certidão emitida pelo Comitê Técnico do Inventário Nacional de Diversidade Linguística (MinC / IPHAN, 2014)

Origens na Itália:
54% - Vêneto
33% - Lombardia
7% - Trentino-Alto-Ádige
4,5% - Friuli – Venezia Giulia
1,5% - Piemonte, Emília-Romagna, Toscana e Ligúria
(certidão emitida pelo Comitê Técnico do Inventário Nacional de Diversidade Linguística (MinC / IPHAN, 2014)

Localização geográfica:
O Inventário Nacional da Língua Talian realizado em 2009/2010 inventariou municípios nos estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, Mato Grosso e Espírito Santo onde a Língua Talian é falada em algumas regiões (noutras, não) e serviu como amostra para o seu reconhecimento.
Porém, com a imigração interna, hoje, a Língua Talian é falada em muitos dos estados brasileiros.
Assim sendo, os municípios inventariados são apenas uma amostra da localização geográfica da Língua Talian.


INFORMAMOS

1. Gramática da Língua Talian:

A gramática da Língua Talian é objeto de pesquisa de um grupo de Sistematização e será aprovada pela comunidade taliana, inclusive, em observância ao aprovado por ocasião do II Fórum Nacional da Língua Talian e XIII Encontro Nacional dos Difusores da Língua Talian, realizados em Serafina Correa – RS, 13 a 15 de novembro de 2009:
Envio de correspondência ao Grupo da Língua Vêneta Internacional, região do Vêneto, Itália, informando que o Grupo da Língua Talian se abstém de participar das discussões sobre a unificação da referida língua.


Ensino da Língua Talian:

A transmissão, a difusão e o ensino da Língua Talian sempre primarão pelo respeito e pela valorização de todos os dialetos de origem italiana que a constituem.

A cultura taliana tratará com especial cuidado a transmissão intergeracional da sua Língua.

O ensino da Língua Talian é feito pelos seus legítimos detentores, protagonistas da sua cultura, membros da sua comunidade cultural ou com o seu expresso consentimento.


2. Salvaguarda e promoção da Língua Talian:

Protagonismo dos detentores

O protagonismo da comunidade taliana será exercido em todos os níveis e ações que digam respeito à Língua Talian e sua cultura e será sempre defendido com diálogo e abrangência.



Temas Prioritários:

As ações de salvaguarda e valorização da Língua Talian têm como temas prioritários: Ensino e transmissão da Língua Talian; O Talian e os meios de comunicação; Os grupos culturais e artísticos da Língua Talian; O Talian enquanto Patrimônio Cultural e o Turismo; e Produtos Coloniais enquanto bens culturais.

A arquitetura típica da imigração italiana nas comunidades da Língua Taliana Inventariada nas serras gaúchas e no oeste catarinense tem

“... Casas com paredes externas de madeira, com três e até quatro pavimentos (no caso de moinhos, cinco), com uma estrutura sem contraventamento, que constitui uma contribuição dos ítalo-brasileiros para a arquitetura mundial. Essa estrutura difundiu-se a ponto de, em áreas muito vastas do Sul do Brasil, na primeira metade do Século XX, as casas de madeira se tornaram o padrão para a habitação popular. (Julio Posenato, arquiteto e pesquisador)


Planos:

Os planos da Língua Talian serão elaborados em consonância com o disposto, especialmente, no Pacto Internacional de Direitos Civis e Políticos (1966), no Pacto Internacional de Direitos Econômicos, Sociais e Culturais (1966), na Declaração Universal dos Direitos Linguísticos, na Convenção para a Salvaguarda do Patrimônio Cultural Imaterial (2003), na Convenção sobre a Proteção e Promoção da Diversidade das Expressões Culturais (2006), na legislação brasileira em vigor, em especial no contexto do Sistema Nacional de Cultura, considerando as dimensões simbólica, cidadã e econômica da cultura, com ações de alcance internacional, nacional, estadual e municipal.

Os Planos deverão considerar com especial atenção parcerias com universidades, centros de pesquisa, centros de memória, museus e outras instituições de educação e de cultura, públicas, privadas e comunitárias e outras entidades que possam contribuir com a salvaguarda e promoção da cultura taliana.

O Talian reconhece e valoriza a Itália como país de origem, Pátria-Mãe de seus antepassados, bem como as culturas formadoras desta nova língua e manterá diálogo e parcerias para a salvaguarda e valorização.



TITULARIDADE E GESTÃO DA LÍNGUA TALIAN:

A titularidade e a gestão da Língua Talian como Patrimônio Cultural Imaterial – Língua de Referência Cultural Brasileira - é competência e atribuição exercida através do Comitê Nacional de Gestão da Língua Talian, constituído por entidades que requereram o seu inventário e reconhecimento e legitimamente a representam, constituídas pelos detentores dos conhecimentos da cultura taliana, atuais, abaixo subscritas, e outras que venham a existir e sejam aprovadas para participar do Comitê, de forma democrática e participativa, em diálogo com outras organizações da sociedade civil e o poder público em todas as suas esferas no Brasil, na Itália e outras instituições no mundo.

Ficam desautorizadas quaisquer representações, encaminhamentos ou negociações da Língua Talian, estranhas à sua titularidade, inclusive o seu ensino.


REQUEREMOS DA ONU, DOS GOVERNOS DA ITÁLIA E DO BRASIL:

1. O Direito à Memória e à Verdade da nossa história e da nossa cultura, tanto na Itália como no Brasil,

2. O reconhecimento das agressões sofridas aos Direitos Humanos dos imigrantes e seus descendentes, nunca mencionadas, ignoradas, esquecidas, tanto na Itália como no Brasil;

3. Respeito à titularidade da nossa Língua reconhecida como Língua de Referência Cultural Brasileira – Patrimônio Cultural Imaterial, aos direitos culturais e humanos, e ao exercício do protagonismo da nossa cultura; e

4. Entre os direitos linguísticos, ações imediatas para o direito ao ensino da própria língua e da própria cultura e o direito a uma presença equitativa da língua e da cultura nos meios de comunicação.


REQUEREMOS DOS GOVERNOS FEDERAL, ESTADUAIS E MUNICIPAIS:

1. Editais próprios para a Língua Talian Inventariada com observância da descrição e da localização geográfica já conhecida;

2. Ações imediatas de inventário, reconhecimento e tombamento de patrimônios culturais materiais e imateriais da cultura taliana e ações de salvaguarda, entre outros, dos mestres dos conhecimentos tradicionais, inclusos os difusores da Língua Talian em programas de rádio;

3. Ações imediatas de levantamento dos vários grupos da cultura taliana com discussão e aprovação de editais e programas de revitalização e fortalecimento;

4. O atendimento das proposições feitas nos municípios, nos estados e na União, especialmente as apresentadas nas Conferências Livres da Língua Talian. (Disponível em https://assodita.org.br/);

5. A inclusão na Lei Nº 13.018, de 22/07/2014 que institui a Política Nacional de Cultura Viva, e as suas equivalentes leis estaduais e municipais:
Art. 5o. Visando ao desenvolvimento de políticas públicas integradas e à promoção da interculturalidade, são ações estruturantes da Política Nacional de Cultura Viva:
.....
XVI – diversidade linguística, em conformidade com o Decreto Nº 7.387 de 09/12/2010 e as normas do Patrimônio Cultural Imaterial

XVII - outras ações que vierem a ser definidas em regulamentação pelo órgão gestor da Política Nacional de Cultura Viva; e

6. A discussão de ações e legislação – na esfera federal - que descriminalize o comércio dos produtos coloniais da cultura alimentar tradicional, com a participação da ANVISA.


REQUEREMOS DO MINISTÉRIO DA CULTURA DO BRASIL:

1. A total implementação das ações previstas e determinadas no Decreto Nº 7.387 de 09/12/2010 que instituiu o Inventário Nacional da Diversidade Linguistica;

2. O imediato cumprimento do artigo 6º do Decreto Nº 7.387 supracitado
Art. 6o Os Estados, o Distrito Federal e os Municípios serão informados pelo Ministério da Cultura, em caso de inventário de alguma língua em seu território, para que possam promover políticas públicas de reconhecimento e valorização.; e

3. Apoio e recursos financeiros para a continuidade da realização de inventários de abrangências estadual e municipal que garantem a inclusão das comunidades não abrangidas pelo Inventário Nacional do Talian realizado em 2009/2010 e garantam individualidade no contexto da identidade da grande comunidade ítalo-brasileira.


REQUEREMOS DO GOVERNO DA ITÁLIA:

1. A inclusão da Língua Talian entre as utilizadas pelo governo italiano para a informação e a difusão da cultura italiana no mundo;

2. A inclusão de representante da Língua Talian no Consiglio Generale degli Italiani all’ Estero, indicado pela comunidade taliana; e

3. A veiculação de pesquisas e produções artísticas nos meios de comunicação italianos produzidas pela comunidade taliana sobre a Língua Talian e sua cultura.


PROPOMOS AOS GOVERNOS DO BRASIL E DA ITÁLIA:

1. Um acordo de cooperação técnica para ações de salvaguarda e valorização do patrimônio cultural material e imaterial dos imigrantes italianos no Brasil e seus descendentes, especialmente da Língua Talian, com a participação do IPHAN – Instituto de Patrimônio Histórico e Artístico Nacional.


Sananduva – RS, 12 de novembro de 2017.
XXI Encontro Nacional dos Difusores do Talian.
COMITATO NASSIONAL DE GESTION DELA LÉNGUA TALIAN
ASSODITA – Assossiassion dei Difusori del Talian.
FEIBEMO – Federação de Entidades Ítalo-Brasileiras e de Mestres e Ofícios da Cultura Taliana
FIBRA – Federação de Entidades Ítalo-Brasileiras do Rio Grande do Sul.


Nedi Terezinha Locatelli
Coordenadora
FEIBEMO e ASSODITA
Ipumirim - SC

Aliduino Zanella
FEIBEMO
Caçador – SC

Dirceu Luis Magri
ASSODITA
Frederico Westphalen – RS

João Wianey Tonus
FIBRA RS
Caxias do Sul - RS,

Jordão Zanella
FEIBEMO e ASSODITA
Concórdia – SC

Juvenal Dal Castel
ASSODITA
Porto Alegre – RS

Lair Eduardo Magni Zanatta
FIBRA RS e ASSODITA
Não Me Toque - RS

Paulo José Massolini
FIBRA RS e ASSODITA
Serafina Correa - RS,

Wilson Canzi
ASSODITA e FEIBEMO
Pinhalzinho - SC


Voltar